Ansiedade pré-vestibular

Com a proximidade das provas, os alunos começam a ficar mais ansiosos. Saiba como lidar, estando no papel de estudante, da família ou da escola.

As primeiras provas dos vestibulares vão começar daqui um mês e os estudos ficam cada vez mais rígidos. O ano de vestibular é o momento final de os alunos decidirem o que vão ser quando crescer.  Por isso mesmo, é marcado por pressões e expectativas dos próprios estudantes, dos pais e da escola. Logo, é normal que a ansiedade bata nos adolescentes. O psicólogo Carlos Esteves, especialista em análise do comportamento, dá algumas dicas e explicações sobre como lidar com essa situação.

A ansiedade nessa época vem da expectativa do resultado com o desempenho nas provas.  “Para alguns alunos A ansiedade experimentada na véspera de um evento importante como o vestibular pode produzir um forte desequilíbrio comportamental. É possível que algumas pessoas sintam-se profundamente inseguras, tornando ainda mais difícil a preparação para o ‘enfrentamento’ deste desafio”, analisa Esteves. Segundo ele, algumas pesquisas realizadas em ambiente experimental demonstraram que esse sentimento provoca uma alteração no desempenho de tarefas, comprometendo tanto a aprendizagem de novos conteúdos quanto aquilo que já havia sido aprendido, por exemplo: “Deu branco na hora e esqueci a resposta”.

Esteves reforça que a época de preparo para o vestibular deve ser encarada como um processo gradual. Ou seja, os vestibulandos precisam ter em mente que, com seriedade nos estudos, todos os dias se faz um pequeno progresso. Para amenizar problemas com ansiedade, ter um tempo livre para atividades que relaxem e distraiam também são necessárias.  Afinal, ter um hobby é importante. Leitura, cinema, música, práticas esportivas ou qualquer atividade que relaxe o aluno é sempre recomendada. Nem todas as pessoas respondem adequadamente a uma rotina intensa de estudos.

O que vem de fora também atinge

A expectativa dos pais também é grande em relação à aprovação, mas neste momento o melhor aliado emocional é o apoio aos filhos. Esteves acredita o papel da família é se manter atenta aos comportamentos do adolescente e evitar cobranças desnecessárias ou excessivas.

Já a escola normalmente tem algum plano de suporte ao aluno. As instituições de ensino e os cursinhos dedicam muita atenção ao preparo para o vestibular, e diferentes ações são colocadas à disposição dos alunos: aulas descontraídas, palestras, serviços de apoio individual, etc.

Para Esteves, também é essencial que as escolas trabalhem a autoconfiança e autonomia de cada estudante. “Trabalhar a autoconfiança e a autonomia pode não garantir uma vaga no primeiro lugar do vestibular, mas irá produzir sentimentos agradáveis nas pessoas e a prepara melhor para lidar com os seus medos.”, finaliza.

Anúncios