Esse tal de ciúme

ciume-que-tal-amar-mais-a-si-mesma-3-344Quem nunca sentiu nem ao menos uma pontinha de ciúme do parceiro ou parceira? Às vezes, o comportamento ciumento é presente em uma relação amorosa. E este foi o tema da primeira coluna do psicólogo Carlos Esteves, membro do NTCR-C, no caderno Viver Bem, da Gazeta do Povo.

Segundo Carlos, o ciúme é sinal de insegurança em relação ao comportamento do companheiro. Ou, seja, a pessoa passa a desconfiar do outro. Mas, sem provas, é impossível saber se a suspeita de traição procede ou se tudo está apenas na imaginação. O resultado disso é o desgaste do relacionamento a curto, médio ou longo prazo, afinal, quem gosta de viver sob desconfiança?

Para o psicólogo, o melhor modo de resolver esta situação é o diálogo. É preciso conversar sobre as dúvidas que o ciumento tem, tranquilizando-o não apenas com palavras, mas, também, com ações. Por exemplo: quando alguém diz que ama o outro, mas não lhe dá carinho e atenção, gera motivos para desconfiança.

Leia o artigo “Esse tal de ciúme” completo no site da Gazeta do Povo.

Anúncios