Como manter um relacionamento?

relacionamento

Na edição do dia 11 de agosto, o caderno Viver Bem, do jornal Gazeta do Povo, publicou o segundo artigo do psicólogo comportamental e membro do NTCR-C Carlos Esteves. O tema da vez foi a dificuldade de se manter um relacionamento amoroso.

Segundo o psicólogo, o amor, dentro de um relacionamento, é um sentimento complexo que não possui uma definição certa e muitas vezes ganha grandes proporções, podendo até ser “caro”. Porém, observando uma relação com mais atenção, podemos perceber que esse sentimento pode ser demonstrado através de nossas ações e palavras.

Muitas vezes nos apaixonamos mesmo quando vemos a pessoa uma ou duas vezes. A atração faz com que o desejo seja o primeiro sentimento despertado. Quando há a união, o começo do relacionamento é avassalador. “Comportamo-nos para conquistar e, muitas vezes, somos supostamente “altruístas” no sentido em que nos colocamos para a satisfação dos desejos do outro: somos atenciosos, intensos, exclusivos. É assim que conquistamos uma pura demonstração de que somos capazes de produzir o amor”, explica Esteves.

Com o passar do tempo, a relação se torna um difícil exercício de equilibrar os seus desejos com os desejos do outro e deixar os dois indivíduos satisfeitos e felizes. “É neste momento em que nos deparamos com o mais complexo e difícil conflito entre aquilo que me faz bem versus aquilo que faz bem ao outro. É o difícil equilíbrio entre ceder e manter, afinal somos únicos e um relacionamento é o encontro de seres únicos”, diz o psicólogo. Ele ainda fala sobre a necessidade de se construir a relação, descobrindo coisas sobre si e sobre o outro, recuar quando necessário, falar e ser ouvido.

Para Esteves, não existe uma fórmula exata de como manter o equilíbrio nessa balança. “Quando falamos de emoções e sentimentos, tratamos de aspectos do comportamento que são exclusivos, herméticos e foram “forjados” ao longo da vida. Como podemos medir e comparar a felicidade, o prazer, a tristeza, a angústia?”, questiona.

Conhecer nossos sentimentos é muito mais fácil do que conhecer os do outro, mas, dentro de uma relação, precisamos ficar atentos e perceber que as emoções são o produto das nossas relações e que nós temos o poder produzi-las.

Para conferir o artigo é só acessar o link.

Anúncios