COTIDIANO – RENDA-SE!

cardeal-vermelho15-01-2016-03-59-56

Eu me rendo ao tempo..

Eu aceito esse presente..

Nessa caixa de surpresas..

Descubro memórias.

Eu estou aqui.. Eu estou agora..

Presente de “grego”?

Não. É presente da Vida.

As memórias são minhas.

A presença é o que me resta..

 

A depressão não é doença da tristeza

Não é só a falta de vontade..

A depressão é doença da alma, que tenta fugir como pode.

A depressão é a falta de sentir.

É falta de alegria.. Mas também é falta da tristeza..

Tristezas e alegrias passam.. Fazem parte da vida.

A depressão afunda

E a euforia?

A euforia só é o espelho

A diferença é que você afunda, quando pensa que está voando.

 

No sopro dessa vida eu alcei voos.

Caí. Tombei. Me reergui.

Novos voos.

Dessa vez mais alto, sem rumo.

Dessa vez despenquei.

Caí feio. Me raspei, me quebrei. Despedacei.

Duvidei da vida, duvidei de mim, duvidei de Deus.

No escuro da minha mente eu me escondi.

Me escondi de mim. Me escondi dos outros.

Doce ilusão.. ou melhor.. ilusão amarga..

Nesse cárcere da mente eu me prendi.

Ainda por cima tranquei a porta e perdi a chave.

Como um pássaro na gaiola me debati, gritei, chorei.

Vomitei lamentos, cuspi palavras

Senti tanta raiva, senti tanto medo..

Minhas asas se partiram.

Já caída, sem poder me mover, eu me rendi.

A porta se abriu e os vi.

Livres, leves, soltos.. eu consegui sentir..

Nesse cárcere da mente eu me prendi.

Ainda por cima tranquei a porta e perdi a chave.

Como um pássaro na gaiola me debati, gritei, chorei.

Vomitei lamentos, cuspi palavras

Senti tanta raiva, senti tanto medo..

Minhas asas se partiram.

Já caída, sem poder me mover, eu me rendi.

A porta se abriu e os vi.

Livres, leves, soltos.. eu consegui sentir..

Em volta de mim. Estiveram sempre ali.

Eles cuidaram de mim. Me esperaram.

Paciência. Compaixão. Amor.

A dor tem seu valor.

A chave esteve sempre aqui.

A porta nunca esteve trancada.

Eu é que não vi…

 

 

Aline Passos

Anúncios